Economia: COM AUMENTO DE COMBUSTÍVEIS, CAI PRESIDENTE DA PETROBRÁS, E ASSUME SILVA E LUNA

General Silva e Luna, homem de confiança de Jair Bolsonaro e atual diretor-geral de Itaipu, deverá assumir comando a petrolífera. General João Francisco Ferreira deve assumir a binacional de energia.

O governo federal anunciou, no início da noite desta sexta-feira, 19, que vai trocar o presidente da Petrobras. Em nota, o Ministério de Minas e Energia anunciou que “decidiu indicar o senhor Joaquim Silva e Luna para uma nova missão, como conselheiro de administração e presidente da Petrobras, após o encerramento do ciclo, superior a dois anos, do atual presidente, senhor Roberto Castello Branco”. Silva e Luna é general e atualmente é presidente de Itaipu.

Sede da Petrobras no Rio de Janeiro

O conselho de administração da Petrobras ainda precisa aprovar o nome indicado, podendo barrar essa indicação. O governo, porém, tem maioria no colegiado de 11 membros. Luna é um general da reserva do Exército Brasileiro, foi Ministro da Defesa entre fevereiro de 2018 e  janeiro de 2019.

“Anuncio que teremos mudança, sim, na Petrobras”, disse Bolsonaro no começo da tarde de hoje. O presidente, no entanto, acrescentou que “jamais vamos interferir nessa grande empresa, na sua política de preço”. Os comentários foram feitos um dia depois de ele anunciar que vai zerar os tributos federais sobre o diesel, após novo anúncio de reajuste dos combustíveis pela Petrobras.

Bolsonaro considerou o aumento, o quarto do ano, “fora da curva” e “excessivo”. Durante sua live semanal no Facebook, na quinta-feira, 18, ele reforçou que não pode interferir na estatal, mas ressaltou que a medida “vai ter consequência”.

Em setembro do ano passado, Luna assumiu como diretor-geral de Itaipu, para um mandato de até quatro anos.

Currículo

Com 71 anos, Luna serviu seus últimos cinco anos no Ministério da Defesa, inicialmente como Secretário de Pessoal, Ensino, Saúde e Desporto; depois, como Secretário-Geral do Ministério; e por último, como Ministro da Defesa.

Nos seus 12 anos como Oficial General da ativa, foi comandante da 16ª Brigada de Infantaria de Selva, em Tefé, Amazonas, de 2002 a 2004. Foi chefe do Estado-Maior do Exército de 2011 a 2014 e comandou várias Companhias de Engenharia de Construção na Amazônia.

Luna tem pós-graduação em Política, Estratégia e Alta Administração do Exército, em curso realizado na Escola de Comando e Estado-Maior do Exército (1998); e Doutorado em Ciências Militares, realizado na Escola de Comando e Estado-Maior do Exército (1987/88), entre outros cursos.

No exterior, foi membro da Missão Militar Brasileira de Instrução e Assessor de Engenharia na República do Paraguai, de 1992 a 1994; e adido de Defesa, Naval, do Exército e Aeronáutico no Estado de Israel, de 1999 a 2001.


Informe da Itaipu

Da Itaipu para a Petrobras: General Joaquim Silva e Luna é indicado para a presidência da estatal

Prestes a completar dois anos à frente da usina, diretor fez uma gestão revolucionária no Paraná, especialmente no Estado. Para o lugar de Silva e Luna, deve assumir o general da reserva João Francisco Ferreira.

Em rede social, o presidente Jair Bolsonaro divulgou nesta sexta-feira, dia 19, a indicação do nome do general Joaquim Silva e Luna, atual diretor-geral brasileiro de Itaipu, como novo presidente da Petrobras. Ele deverá substituir Roberto Castello Branco e também assumir o Conselho de administração da estatal. Até a nomeação oficial, ele permanece como diretor da margem brasileira da binacional.

Para o lugar de Silva e Luna, deve assumir general de exército da reserva, João Francisco Ferreira. Ainda no começo da noite, a assessoria de comunicação Social do Ministério de Minas e Energia confirmou as duas indicações, por meio de notas.

Na próxima quinta-feira, 25, Bolsonaro estará em foz do Iguaçu, no Paraná, sede da usina, para participar da solenidade do lançamento da revitalização do sistema de transmissão de corrente contínua da subestação de Furnas, que leva energia de Itaipu para o Centro-Oeste e Sudeste do País. O investimento é de R$ 1 bilhão.

Neste domingo, 21, Silva e Luna completa dois anos como diretor-geral brasileiro de Itaipu. Neste período, a atual gestão garantiu à usina o status de protagonista em parcerias que viabilizam obras essenciais, reivindicadas há décadas pela população. Ele tomou posse no cargo no dia 26. Seu trabalho ficou conhecido em todo o setor elétrico. O próprio presidente fez inúmeros elogios ao diretor de Itaipu em suas lives tradicionais, pronunciamentos e reuniões ministeriais.

O Gal. João Francisco Ferreira deverá assumir diretoria-geral brasileira de Itaipu, em substituição a Silva e Luna

Neste curto período, Itaipu fez e anunciou tudo o que era reivindicado há muitos anos pela região, como uma nova ponte entre o Brasil e o Paraguai, que vai mudar a logística da fronteira; a transformação do Aeroporto de Foz do Iguaçu, que terá condições de ser um hub do Mercosul; e a futura duplicação da rodovia mais importante para o turismo do município, a BR-469, que dá acesso às Cataratas do Iguaçu.

A transformação do Oeste paranaense começou com a reestruturação da própria administração de Itaipu, que se pautou numa política de austeridade e transparência. O redirecionamento de recursos, antes aplicados sem aderência à própria missão da usina, possibilitou investimentos de R$ 2,5 bilhões em iniciativas que vão mudar o perfil socioeconômico do Oeste paranaense e de outras regiões, com resultados imediatos na geração de empregos, num momento em que a economia ainda está sob os efeitos provocados pela pandemia da covid-19.

(Da Redação com Agência Estado e Assessoria da Itaipu)

Seja o Primeiro a comentar on "Economia: COM AUMENTO DE COMBUSTÍVEIS, CAI PRESIDENTE DA PETROBRÁS, E ASSUME SILVA E LUNA"

Deixe um comentário

Seu email não será publicado.


*


%d blogueiros gostam disto: