Foz do Iguaçu: FEMENICÍDIO. ‘MINHA FILHA SABIA DEMAIS E FOI MORTA POR QUEIMA DE ARQUIVO’, DIZ MÃE DE ELIZA SAMUDIO

Sônia Moura diz que sofre há 12 anos e não acredita ter sido um crime passional o assassinato da iguaçuense.

 

A morte da iguaçuense Eliza Samudio completou 12 anos, nesta quinta-feira (10), e como todos os anos anteriores é um dia de muita dor para Sônia Moura (foto ao lado), mãe de Eliza assassinada por Marcos Aparecido dos Santos, o Bola, Henrique Ferreira Romão, o Macarrão, e o goleiro Bruno Fernandes, ex-namorado da moça na época. Morando em Campo Grande, Mato Grosso do Sul, a dona de casa vive para cuidar do neto, Bruninho, quem ela considera a maior vítima desse crime brutal, que abalou os brasileiros por envolver um dos ídolos do futebol nacional. Crime que Sônia acredita não ter sido passional.

“Está tudo dentro do processo. O promotor Henry Wagner Vasconcelos de Castro mostra que o Bruno era garoto-propaganda do Nem (na época do assassinato de Eliza, ele era o líder do tráfico da Rocinha), e tinha ligações com o tráfico de drogas e caça-níquel. Com certeza a minha filha sabia disso. A Eliza não ficou grávida simplesmente por uma noite, Eliza não ficou grávida nessa orgia que o Bruno a expôs na sociedade. Existem provas anexadas das conversas entre os dois e em uma delas, ele fala de uma noitada de amor. Minha filha engravidou depois de quatro meses de convivência e ela sabia muitas coisas do Bruno! Eliza sabia demais e foi morta por queima de arquivo. Tenho certeza.”, contou em entrevista, que foi ao ar nesta quinta-feira (10), ao Canal ‘Na Real’ do apresentador Bruno Di Simone.
O goleiro Bruno, ex-goleiro do Flamengo, foi preso e condenado pelo assassinato de Eliza Samudio, com quem Bruno teve um filho
Sônia também revelou que guarda o processo com mais de 10 mil páginas para mostrar ao Bruninho tudo sobre a morte da mãe caso um dia ele queira saber. “Tenho tudo guardado. Hoje, ele sabe que o pai matou a mãe, mas não sabe detalhes. Se ele quiser saber, eu vou mostrar porque a verdade é sempre a melhor resposta. O que eu quero mesmo é que ele seja feliz”, finaliza.
(Da Redação com O Dia)

leave a reply