Aconteceu de novo: ANESTESISTA PRESO APÓS ESTUPRAR E FILMAR PACIENTES

A prisão aconteceu novamente no Rio de Janeiro, mesmo local onde outro anestesista, Giovanni Quintella, foi preso em flagrante, há menos de um ano, por estuprar uma mãe durante o parto.

O anestesista colombiano Andres Eduardo Onate Carrillo foi preso, na madrugada desta segunda-feira (16/1), no Rio de Janeiro, em uma operação conduzida por agentes da Delegacia da Criança e do Adolescente Vítima (DCAV). Ele é investigado por estuprar pacientes enquanto elas estavam desacordadas. O médico também é acusado de filmar os atos de violência sexual, além de produzir e armazenar material de pornografia infantil. 

As investigações contra Andres Eduardo Onate Carrillo começaram em dezembro do ano passado. À época, a Polícia Civil recebeu informações do Serviço de Repressão a Crimes de Ódio e Pornografia Infantil (Sercopi), da Polícia Federal, sobre um acervo de 20 mil arquivos de pornografia infantil nos computadores do médico. 

Durante a análise dos arquivos coletados, os investigadores encontraram vídeos produzidos por Carrillo cometendo os assédios nas pacientes. A polícia afirma que os crimes foram feitos, entre os anos de 2020 a 2021, em dois hospitais. No hospital Estadual dos Lagos Nossa Senhora de Nazareth ele filmou o abuso de uma paciente durante uma laqueadura. Já no Complexo Hospitalar Universitário Clementino Fraga Filho, o crime do anestesista teria ocorrido durante uma cirurgia para a retirada do útero.

Segundo a Polícia Civil do Rio, no entanto, o homem também é suspeito de praticar outros crimes, em hospitais na rede particular, mantendo o hábito de “colecionar as imagens” dos abusos. Até o momento, o médico não teve defesa constituída. 

A reportagem do Correio tenta contato com a Secretaria Estadual de Saúde do Rio. Assim que a pasta responder, este espaço será atualizado.

Giovanni Quintella

A prisão de Carrillo baseada nas acusações de assédio sexual em pacientes desacordadas recorda o caso do também anestesista Giovanni Quintella, preso em flagrante há menos de um ano, por estuprar uma mãe durante o parto, no Hospital da Mulher Heloneida Studart, no Rio de Janeiro.     

O médico foi preso em 10 de julho de 2022 e seu julgamento começou em 12 de dezembro.

 

 

(Da Redação com Correio Braziliense – Foto:  Reprodução/TV Globo)

leave a reply