Pior de tudo é que na Secretaria de Assistência Social também tem uma diretora de Direitos Humanos.

Em março de 2018, o prefeito de Foz do Iguaçu, Chico Brasileiro, criou a Secretaria de Direitos Humanos do município, para atender uma reivindicação da sua esposa, Rosa Jeronymo, atualmente secretária de Saúde.

Na época da criação dessa secretaria, conforme matéria publicada pelo Não Viu?, que pode ser lida aqui, o prefeito Chico Brasileiro afirmou e garantiu que a criação da Secretaria Extraordinária de Direitos Humanos não iria acarretar em nenhum custo adicional para o município, pois seriam remanejados servidores que já atuavam nos quadros da prefeitura, sem aumentos de salário.

Pois bem, a promessa não se concretizou.

Pelo contrário, hoje você, contribuinte de Foz, tem de pagar, mensalmente, R$ 25.569,34 de salários a quatro cargos políticos que ocupam essa (desnecessária, na opinião deste editor) secretaria.

Os salários líquidos são pagos a, segundo o Portal da Transparência:

  • KELYN CRISTINA TRENTO (Secretária de Direitos Humanos e Relações com a Comunidade) R$10.930,23;
  • LETICIA ANAI FIGUEREDO RODRIGUEZ R$ 3.289,15 (Assessora 1);
  • MYRIAN CONCEPCION CELESTE MAIDANA BERVIA (Coordenador de Direitos Humanos) R$ 3.289,15;
  • ROSINEIDE RUMAO DOS SANTOS BALTAZAR (Assessora 1) R$ 8.060,77.

Isso não é tudo. Tem coisa pior.

Na Secretaria de Assistência Social existe uma outra diretoria específica de Direitos Humanos. Sim, ela é ocupada, com outro cargo político, por Maria José de Souza El Saad que ganha um salário, também líquido, de R$ 5.965,56.

Por ano, todos esses salários líquidos somam, incluindo férias e 13°, um total de R$ 441.488,60, sem contar as despesas administrativas.

Traduzindo: todas essas ocupantes de cargos políticos estão fazendo a mesma coisa e nunca se viu, pelo menos até agora, um resultado prático desse trabalho.

Na verdade, quem deveria fiscalizar isso seriam os vereadores de Foz, a começar pelo presidente da casa, Ney Patrício, mas quase a totalidade deles faz parte da bancada “Amém, Chico!”.

Vale ressaltar que os Direitos Humanos são uma bandeira muito cara para os partidos de esquerda, dos quais Chico Brasileiro e o seu secretário de Administração, Nilton Bobato, fizeram parte, mais especificamente do PC do B.

Porém, pelo jeito, os dois mantêm essa postura ideológica, só que gastando o dinheiro que não é deles.

Opinião
Essa é apenas uma pequenina prova de que, como este editor do Não Viu? afirma, existe dinheiro para atender todas as necessidades da população, sem fazer empréstimo.

(Do jornalista Vinícius Ferreira no blog “Não Viu”)

Considerações do IGUASSU News: Os valores apresentados pelo “Não Viu”, totalizam em 03 anos (completados agora, em março de 2021) de “invenção” da tal secretaria de Direitos Humanos, mais de R$ 1,2 milhão do contribuinte iguaçuense pagando essa secretaria que, em nossa opinião, foi criada (e nunca deixou de ser) para ser um mero “cabide de emprego”!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *