Foz chegou a 671 mortos pela covid-19, conforme Boletim Oficial da secretaria municipal de Saúde, e ocupação de UTIs segue no limite e com alerta vermelho na cidade.

Foz do Iguaçu alcançou neste domingo, 4 de abril, 671 mortes causadas pela Covid-19. Considerando uma população estimada de 158 mil habitantes, os casos oficiais de mortes confirmadas (671 até este domingo) a taxa é de 260 mortos para cada grupo de 100 mil habitantes.

“Liderança” – A incidência de mortes segue como a maior do Paraná e no alerta vermelho (maior risco), ou seja, quando a incidência municipal está acima de 50% da incidência no Brasil, que é de 153 mortes por 100 mil habitantes. Isso significa que a mortalidade pela covid em Foz do Iguaçu está 70% acima da média nacional.  

O boletim oficial trouxe a informação de que 32.043 casos da doença, ou 12,14% da população em geral foram infectados. Nesse índice não estão os assintomáticos nem os que tiveram sintomas leves e sequer foram submetidos a testes. Considerando as subnotificações e aplicando os índices apontados em estudos realizados pelo Observatório Covid-19 BR com apoio de estatísticos da Fundação Osvaldo Cruz (Fiocruz).  As estimativas dão conta de que Foz do Iguaçu tem, no mínimo, o dobro de casos – perto de 65 mil infectados, o que representa quase 30% da população em geral.

Como a Covid tem um tempo estimado de permanecer com vírus ativo no organismo, dos casos confirmados, 299 estão em isolamento domiciliar neste domingo, com sinais e sintomas leves. Entretanto outras 155 pessoas estavam internadas e destas 100 na UTI, incluindo uma criança.

Chico Brasileiro e de sua esposa e secretária de Saúde, Rosa Jerônymo

Impotência – Mesmo ante os trágicos números da gestão municipal no enfrentamento da pandemia em Foz, as únicas ações da administração do prefeito Chico Brasileiro e de sua esposa e secretária de Saúde, Rosa Jerônymo, são “Lockdowns”/Toques de Recolher, aplicação de multas, e a vacinação das muito poucas quantidade de doses vindas por meio do governo do Estado. Apesar do elogiável atendimento domiciliar de pessoas com comorbidades, ação pontual iniciada somente neste ano, não se tem conhecimento de ações planejadas e sincronizadas para os curto/médio e longo prazos para o enfrentamento eficaz da Covid-19.

COLAPSO

“Infelizmente, destes casos de UTI, há pacientes que vão a óbito neste mês”, afirmou o diretor do Hospital Municipal, Sergio Fabriz em reportagem da RPC que apontou março como o pior mês em mortalidade. “Com a queda do número de casos positivos, a tendência é que as internações diminuam, porém abril tende a ser um mês muito difícil ainda pelo número alto de pacientes internados na UTI. Boa parte, infelizmente, vai à óbito”, afirmou Fabriz.    

A ocupação das UTIs estava em 93% neste domingo, mas conforme a alta demanda, a utilização de 100% é quase imediata porque além de Foz a estrutura do Municipal atende outros seis municípios, dos quais tinham 17 pacientes dessas localidades ocupando UTIs. Com isso, no geral são 117 leitos em utilização de um total de 125 UTIs disponíveis.  

NÚMEROS DO PARANÁ

A Secretaria de Estado da Saúde divulgou neste domingo (04) 1.037 novos casos confirmados e 42 mortes em decorrência da infecção causada pelo novo coronavírus. Os dados acumulados do monitoramento da Covid-19 mostram que o Paraná soma 853.611 casos confirmados e 17.182 mortos em decorrência da doença. A média de idade dos casos é de 39,65 anos e dos óbitos de 67,9 anos. Os casos confirmados divulgados nesta data são de abril,  março, fevereiro e janeiro de 2021 e de setembro, outubro e dezembro de 2020.

INTERNADOS

2.773 pacientes com diagnóstico confirmado de Covid-19 estão internados. São 2.190  pacientes em leitos SUS (971 em UTI e 1.219 em leitos clínicos/enfermaria) e  583 em leitos da rede particular (317 em UTI e  266  em leitos clínicos/enfermaria). A ocupação de leitos SUS exclusivos para pacientes Covid no Estado é de 96% em UTI e de 76% em enfermaria.

Há outros 2.728 pacientes internados, 952  em leitos UTI e 1.776  em enfermaria, que aguardam resultados de exames. Eles estão em leitos da rede pública e particular e são considerados casos suspeitos de infecção pelo Sars-CoV-2. Do total de casos confirmados desde o início da pandemia 71% (603.367 pessoas) se recuperaram.

ÓBITOS

A secretaria estadual informa a morte de mais  42  pacientes. São 21  mulheres e  21 homens, com idades que variam de  33  a  90 anos. Os óbitos ocorreram de 13 de março a 4 de abril de 2021.

(Da Redação)

By Editor

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *